Com a análise dos elementos minerais presentes no cabelo o médico pode obter informação laboratorial que poderá ter relação com a síndrome de fadiga crónica, a osteoporose, anemias, etc.

ELEMENTOS MINERAIS
NO CABELO

Com a análise dos elementos minerais presentes no cabelo o médico pode obter informação laboratorial que poderá ter relação com a síndrome de fadiga crónica, a osteoporose, anemias, etc.

ESTADO DE NUTRIÇÃO
A constituição em elementos minerais do cabelo reflete a da generalidade dos órgãos - osso, músculos, cérebro, fígado, medula*.

O teste permite a avaliação de situações de carência devidas a desnutrição, a dietas de emagrecimento, a malnutrição, a malabsorção e síndromes relacionados com perturbações gastrointestinais, bem como situações de carências relacionadas com a idade, com tratamentos farmacológicos e diversas patologias.

*Mineral and Trace Element Analysis: Laboratory and Clinical Application, Eleanore Blaurock - Busch, Verónica Griffin, 1996

ELEMENTOS TÓXICOS
Com este teste é possível avaliar a exposição a longo prazo a elementos tóxicos nocivos para a saúde, que penetram no organismo, com origem no meio ambiente ou no ambiente laboral. Estes elementos tóxicos podem originar alterações nos processos enzimáticos neurológicos ou afetar diferentes sistemas do nosso organismo.

PORQUÊ ANALISAR O CABELO?
Porque o cabelo como tecido “de depósito” tem muitas vantagens em relação à análise do soro ou urina. O cabelo cresce cerca de 1 cm por mês, pelo que, uma madeixa de cabelo com um comprimento de 2 cm, refletirá o nível de oligoelementos dos últimos dois meses.

Por sua vez, a análise no soro apenas reflete uma situação pontual, ou seja, do momento da colheita, pelo que, o seu resultado não é o ideal para avaliar o estado nutricional.

Quanto à possibilidade de usar a urina como produto de estudo, pode ser útil para determinações do perfil de eliminação de tóxicos em Medicina Ocupacional ou para avaliar a taxa de eliminação do cálcio, fósforo ou magnésio, entre outros, mas não para avaliar estados nutricionais.

Com frequência, a queda de cabelo tem uma causa definida e identificável tais como défices e desequilíbrios alimentares, intoxicações por exposições crónicas a substâncias nocivas no trabalho ou no meio ambiente.

AMOSTRA NECESSÁRIA
Recolher cerca de 1 g de cabelo da zona da nuca (2-3 cm a partir do couro cabeludo).

RECOMENDAÇÕES
De preferência não pintar o cabelo 1 mês antes da recolha.

APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS
Inclui comentários e orientações sobre as possíveis causas para os desequilíbrios e anomalias abservadas.

MARCAR AGORA!

Nós ligamos!

Enviar Mensagem

NÃO ENCONTROU O QUE PROCURAVA?

Pesquise aqui!

ENVIE-NOS UMA MENSAGEM.


8 + 4 =

A SUA CONFIANÇA É A NOSSA MOTIVAÇÃO